Sopros de vida

Nada
onde estava era silêncio
Tormenta reflexiva
do inconsequente

Teu pedido
bate feito onda
Irradiando delírios
Arrastando certezas 

Na maré de notícias
o coração se alerta
Na espera incerta
dentes se calam 

E aturdido de sono
Os olhos acolhem
amplexos longos
E sopros de vida 

— Daniel Wildt (conheça meu novo projeto de poemas)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s