A minha Desconf 2014 e uma pequena retrospectiva

Em 2014 fiz a minha quarta participação na Desconf. Já falei sobre esportes, sobre vida, sobre propósito, e em 2014 falei sobre como “proceder” quando não se tem mais nada a fazer, a não ser fazer.🙂

Olhando pro passado, em 2010 tive a oportunidade de palestrar sobre basquete e como ele está presente no dia a dia de quem trabalha em equipe.

Em 2011 foi a vez de falar sobre o Mantra das Possibilidades. Essa palestra foi bem importante, acabei fazendo uma versão maior dela no Agile Brazil 2013 e foi inspiradora para minha palestra no TEDx Parque Farroupilha.

Em 2012, a Desconf do ano do fim do mundo que não aconteceu, foi a primeira vez que falei sobre Business Model You, na palestra Quem é Você! Hoje em dia o Quem é você virou um workshop de um dia, em imersão, comercializado pela AdaptWorks.

Em 2013, não teve Desconf.😦

Em 2014, foi uma desconf diferente. Fizemos ela no Bar Carmelita (Porto Alegre), em um ambiente totalmente descontraído, com som do Lorenzo Tassinari e muita gente legal palestrando.

O Rafael Trombetta iniciou transformando a Desconf em um Sarau, recitando poemas do livro Poesia para o mundo escutar. E depois foi um chamado atrás do outro. Cada um mandando sua mensagem.

E eu estava lá, com uma folha do bloco da Wildtech na minha frente, me olhando e nada de ideias sobre o que falar naquela Desconf. E aí me lembrei justamente da história da Wildtech. O modo como ela saiu do passado e voltou ao presente. Meu pai tinha criado a Wildtech em 1993, eu com 14 anos e nem ideia do que iria fazer profissionalmente. O motivo do nome era que eu iria usar ela algum dia. Eu tinha um computador, onde jogava. Eu usaria para alguma coisa tecnológica. E chegou a hora. Tecnologia sim, mas principalmente a humana. Foi basicamente em uma hora que eu não tinha mais o que fazer a não ser criar a Wildtech e colocar na rua os Treinamentos e aulas que acreditava. E assim surgiu o Agile KickStart por exemplo. Primeiro cliente? HP. E logo depois veio o logo da Wildtech (valeu Fred Messias). Em seguida veio o workshop Da visão à produção, o VivaSeuTempo, o Cultura de Agilidade, o Quem é Você e muitos outros que ainda estão na fila para serem testados. Todos estes treinamentos e funcionamentos me ajudam no desenvolvimento do estilo de vida que estou construindo.

Muitas vezes queremos entrar em movimentos existentes, mas de vez em quando precisamos iniciar novos movimentos. Fazer diferente. Fazer. E ao fazer, teremos pessoas indicando caminhos diferentes, ou negando a possibilidade do novo caminho funcionar. Sem testar ou validar se o caminho em questão pode funcionar ou não. E justamente aí que mora o motivo e a importância de se fazer pequenos experimentos, buscando os chamados MVPs.

Ouve mais desta história lá no Blog do Estaleiro Liberdade, onde está o áudio disponível da minha palestra.

E isso é a Desconf. Conectando, criando e transformando histórias, pessoas e movimentos.

— Daniel Wildt
Assine a minha lista e se mantenha atualizado sobre novos artigos, palestras e eventos em primeira mão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s