E as metodologias ágeis ainda são novidade!

É muito interessante estar no mercado de tecnologia em 2014, e ainda ver como as Metodologias Ágeis aparecem como novidade para muitas empresas.

Em 2009 eu dei uma entrevista falando que era já um caminho sem volta, mas muitas empresas ainda buscam ciclos grandes de feedback e se culpam porque a gordura colocada em um projeto não foi suficiente para garantir a entrega do mesmo.

Ao contrário, deveriam entender como as entregas se tornam mais simples quando conseguimos criar um ritmo de comunicação com os nossos clientes. E quando o cliente entende que o desafio de entregar software não está em chutar um número de horas ou determinar um valor de custo de um projeto, mas em criar um processo de ritmo de entrega de valor. Que o cliente perceba as melhorias e o benefício que a solução em produção causa para a organização.

A comunicação entre cliente e time não serve para dar “status”, mas para criar engajamento. Que os clientes tenham um sentimento de pertença sobre o projeto e sobre os rumos que ele pode tomar.

Diversas oportunidades de comunicação podem ser colocadas em um time, e elas podem ter focos diferentes. O que é certo é que todas são oportunidades de aprendizado e de desenvolvimento de cadência. Vejamos exemplos:

  • Planejamento: alinhar o que vai ser feito durante um ciclo de trabalho.
  • Diárias: permitir que o cliente acompanhe os avanços e desafios da equipe desde a última reunião e o que vai ser feito até a próxima.
  • Revisão: cerimônias que podem ocorrer ao final de cada funcionalidade, através de uma pequena demonstração. Ainda existem times que fazem uma grande reunião de revisão, o que também e válido e serve para celebrar os avanços do time dentro do ciclo.
  • Retrospectivas: momento de visualizar o que está bom e o que pode ser melhorado no processo de comunicação e entrega com os clientes. Se um time faz retrospectivas semanais, ele deveria ter momentos de feedback com os clientes para poder identificar oportunidades de melhoria.
  • Pareamento: permitir unir conhecimento do cliente com habilidades de outras pessoas do time. Uma das melhores formas de construir conhecimento.

O que se quer? Entregar valor de forma frequente aos clientes, resolvendo os problemas que mais impactam e entregando soluções que tragam maior produtividade e rentabilidade para o negócio, sempre entendendo que o próximo passo pode mudar conforme os avanços e aprendizados do time e do mercado.

Parece fácil certo? Só existe um ponto: buscar agilidade em uma equipe não é um evento.

Não se resolve com uma capacitação de 1, 2 ou 10 dias. Agilidade é um processo de falha, aprendizado, adaptação, mudanças, cooperação, colaboração e ação.

E ah. Sem fim.🙂

Post publicado originalmente no Baguete, em 26/novembro/2014.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s