Em paz

Estava em uma roda de viola no final de semana. Ouvindo modas e o sofrimento de diversas formas. Amores que vão, amores que ficam. E ao pensar nisto, claro que escrevi um poema.

De concórdia
Vivo passos
Em procura
que não deixa voltar

Saudade
que parte peito
Escolta o presente
da nota esquecida

A viola aos prantos
Recolhe o sonho
do tempo que vem

Honesto passado
Volta a atormentar
Quem nunca se curou

— Daniel Wildt (conheça meus livros de poesia)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s