#PartiuAgile – Pré e pós jogo do Scrum – T01E04

Quando se inicia um projeto precisamos saber se estamos prontos para começar. Este estar pronto para começar, requer que o time tenha entendimento de onde quer chegar.

Esse alvo mais claro vai ajudar a entender como quebrar o trabalho a ser feito em entregas de valor, mas sabendo que já se possui uma base de negócio clara com todas pessoas da equipe.

O trabalho de pré-jogo do Scrum vai ajudar no desenvolvimento do backlog do produto, uma lista de itens a serem entregues, priorizado conforme o critério usado no time para perceber valor.

Continuar a ler

#PartiuAgile – Processos de controle empírico e pilares – T01E03

Neste episódio do #PartiuAgile (temporada 1 – Scrum) vamos falar sobre empirismo e como o Scrum trabalha a construção de conhecimento dentro da equipe.

Também falo sobre os pilares do Scrum, e a parte mais legal de falar sobre transparência, inspeção e adaptação é como isto pode ser aplicado em qualquer contexto de trabalho. Não está restrito a projetos de tecnologia nem em projetos que trabalhem com Scrum.

Continuar a ler

Resoluções de ano novo. Você faz? Qual o seu processo? #dwildt101 ep. 30

Qual o seu processo de funcionamento quando chega o final do ano? Como funcionam suas resoluções de ano novo? Planejamentos longos, feitos apenas 1 vez, ou várias sessões de planejamento?

John Oliver, conhecido por um jornalismo ácido, diz que as resoluções de ano novo são um meio termo entre mentir para si mesmo e mentir para os outros. E aí?

Continuar a ler

Planning poker para times distribuídos

Algumas equipes usam estimativas ou classificam o trabalho para poder entender o que precisa ser feito. Outras funcionam sem as tais estimativas. Usam classes de serviço, que é um assunto excelente e merece um post em separado.

Indo para o lado das estimativas, me perguntam: e os times que trabalham com estimativas, o que podem fazer no caso das equipes que trabalham de forma distribuída?

Continuar a ler