#blogabout 8/out

Falando com o Thiago Esser sobre definir preços das coisas, lembrei da palestra do Fabio Pereira (ThoughtWorks) no Agile Brazil 2013.

Se você está querendo saber para onde vai o seu tempo quando você está na frente do computador, e você curte ferramentas de software, uma ferramenta que pode ajudar é o produtivo.eu. Dá uma conferida. Eu particularmente acabo me guiando quando é o caso pelos Pomodoros e Songdoros, tentando entender minha cadência e buscando o máximo de foco. Mas no passado já usei ferramentas para poder entender em que aspectos do meu dia acabava usando meu tempo.

No QCon de São Paulo, ministrei um workshop chamado User Story Mapping. A escrita de User Stories, um dos pilares das práticas ágeis, incluindo uma discussão de formatos possíveis e o padrão 3C (Card, Conversation, Confirmation), tamanhos e estimativas (ou entendimento das classes de serviço), critérios de aceitação, épicos e técnicas de apoio (exemplo paper prototyping). Este mesmo workshop é o que vou fazer com o Rafael Helm no dia 28 de outubro lá no TecnoPuc.

Agile Kickstart – Papo sobre Cultura Organizacional e Cultura Ágil

Fiz uma palestra para uma galera fera de Porto Alegre sobre cultura organizacional e cultura ágil.

Um time que está iniciando o caminho nas metodologias ágeis, deve ter um foco muito forte na cultura. No trabalho de entender sua cultura e ver formas de como trabalhar cultura de prevenção, cultura de aprendizado e cultura de melhoria contínua.

Nesta palestra falo um pouco sobre eXtreme Programming, sobre Scrum e sobre Lean, sempre puxando aspectos importantes que um time deveria dar atenção quando o assunto é a mudança cultural.

Colocando os tomates para trabalhar! Pomodoro Technique!

Você acorda e pensa sobre o que precisa fazer hoje. Você toma seu café da manhã (eu vou só em um copo de suco) e pensa novamente sobre o que precisa fazer hoje. Neste momento já aparecem coisas importantes para fazer. Você certamente coloca na sua lista mental coisas que irão deixar você muito feliz. Muito mesmo. Aí você vai tomar um banho ou vai assistir ou ler um jornal da manhã. Mais coisas começam a aparecer nesta lista mental.

O que tem de errado nisto? Ainda nada… o ponto é que você começa a querer fazer tudo e no final, não consegue “encerrar nada“. Você fica com aquela sensação de dia sem objetivo, chato, pesado. E nenhum dia precisa ser assim. Frustração.
A técnica do Tomate (Pomodoro em italiano) vai ajudar você a conhecer mais do seu ritmo. A controlar o seu otimismo quando você pensa em um dia sem interrupções e você completando todas tarefas que pensou. Isto pode acontecer e vai ser excelente, mas não será sempre assim.

Bom, o processo é bem objetivo. Vamos em passos para poder começar:

  1. Peque uma folha de papel.
  2. De cima para baixo, anote o que você quer fazer hoje.
  3. Use um timer, seja de cozinha ou do celular, marcando 25 minutos.
  4. Pegue o primeiro item da lista, e foco! Se terminar o primeiro item, foco no próximo.
  5. Se aparecer algo novo, preencha de baixo para cima. Uso isto para poder diferenciar o que eu planejei inicialmente das coisas que tive que completar durante o dia.

Ao final dos 25 minutos, você vai parar de fazer o que estava fazendo, onde estava. Não tem mais 1 minuto só para terminar uma coisinha. A restrição do tempo é importante para criar consciência. A partir disto, você vai marcar no timer 5 minutos e vai fazer qualquer coisa, tomar água, banheiro, dar uma olhada nos emails e por aí vai. Lembre que são 5 minutos. E que você não pode seguir na tarefa que estava.

Agora você está pronto para mais um ciclo (ou um novo pomodoro). De volta ao timer de 25 minutos, executar as tarefas da lista e seguir fazendo este ciclo de 25 + 5 até completar 4 ciclos. Ao completar 4 pomodoros você ganha um super bônus de 30 minutos e agora pode ter um tempo de descanso maior. Pode aproveitar para ler um jornal, fazer um lanche ou algo do tipo.

Uma coisa importante! Notou o uso do “quer” quando pedi para você montar a lista? Temos um ponto para trabalhar em entender que muitas vezes temos que fazer o que queremos e também o que precisamos. Então a nossa lista vai possuir tarefas que dão prazer porque foram feitas. Outras darão prazer porque nos livramos delas.

Você vai querer entender também quantos ciclos foram necessários para terminar uma tarefa. Você vai começar a buscar tarefas melhores, menores, mais detalhadas, para que o seu ciclo seja mais efetivo. A melhoria contínua está presente sempre. Você quer tornar seus dias mais proveitosos. Mais produtivos. Entender que dentro das possibilidades você consegue fazer X tarefas por dia. E era isto. Sem frustrações. Se por acaso você conseguir fazer mais, só felicidade hein?

Outra questão é que você vai passar a dar mais valor ao tempo. E a querer controlar interrupções. A cada interrupção que você aceitar, o timer deve ser parado e o pomodoro é cancelado. Quando você se liberar, inicia um novo pomodoro. Este ponto vai ajudar você a entender o quanto você é interrompido. Faça um cálculo de quantos ciclos você tentou fazer e quantos você realmente fez. E neste sentido, você vai trabalhar para liberar tempo, para poder executar alguns ciclos em sequência. Costumo guardar 3 a 4 horas do dia seguidas para poder trabalhar sem interrupções. E as interrupções podem ocorrer, eu sei, mas tento isolar reuniões durante um turno. Prefiro reuniões no turno da manhã e deixar as tardes para focar em fazer. Guardar tempo para coisas burocráticas e ações que preciso fazer com outras pessoas. Managers time contra makers time. Não deixe o seu dia ser controlado por interrupções. Você deve controlar o seu dia. Comece assim. O nosso objetivo é que você viva o seu dia. Lembre disto. Agende reuniões, mas lembre de marcar reuniões pequenas, e estabeleça objetivos claros com as pessoas. Datas para retorno ajudam e te dão tempo para trabalhar nos assuntos. Prefira um “falamos na volta do almoço” do que um “falamos daqui a pouquinho”. Apesar da relatividade, trate o tempo o mais objetivo possível!

Me perguntaram outro dia se eu vivo o dia inteiro com a técnica do pomodoro. Não. Eu utilizo a técnica do pomodoro com dois objetivos. Primeiro para poder focar durante uma tarde de trabalho e completar tarefas que preciso resolver. Se eu estou fazendo uma tarefa de pesquisa a noite em casa, de puro aprendizado, livre, querendo ver vídeos legais e ler artigos relacionados, eu não fico controlando tempo destas coisas. Agora, existem situações em que quero focar. Tomar decisões. O segundo motivo de usar a técnica é para evitar perder o foco, normalmente visto quando não consigo ver mais os ícones das abas no navegador de internet. Neste ponto o pomodoro me ajuda. Sei que no máximo 30 minutos estarei de volta ao objetivo que iniciei 30 minutos antes.

Então, se eu pudesse resumir dicas para ajudar você no uso da técnica do pomodoro eu digo o seguinte:

  1. Saiba que você vai ser interrompido!
  2. Use a técnica quando ela fizer sentido no seu dia. Você não é um robô!
  3. Analise o que está ocorrendo com o seu dia. Suas tarefas estão menores? Mais consistentes? Está realizando aquilo que é necessário e importante?

Quanto a saber que seremos interrompidos, não é uma boa notícia, mas é a pura realidade. Então busque ajustar o seu dia para ter ciclos de criação/realização/ação. Não precisa virar uma rotina, mas encontre estes momentos. O desafio não é aprender a dizer não, mas saber entender a criticidade de um assunto e poder postergar em 30 minutos ou 1 dia. Caso seja algo realmente urgente, se deixe interromper e resolva!

Toda técnica deve gerar benefícios. Então entenda quando esta técnica pode ser usada para dar mais efetividade no seu dia a dia. Lembre! Você não deve ser controlado por um timer. A restrição de tempo está presente para ajudar a focar e a quebrar melhor as tarefas a serem executadas.

Quer mais ferramentas para o seu tempo? Veja este material que estou montando!

Bora correr! Defina o seu ritmo!

Chega o final do ano, hora de recomeçar minha preparação física.

Aí o esporte que ganha prioridade é a corrida. Durante 2012 consegui fazer uns treinos legais de corrida e para 2013 estou com uma meta de conseguir correr 5km em 25mins. Na prática é ser capaz de correr 5Km em um Pomodoro. Ou no meu caso um Songdoro.

nike-plus-runningPara correr eu uso o Nike+. E neste final de ano ainda tem um desafio extra, que é conseguir correr o máximo próximo de 34Km até o final de 2012. Com isto passo para a faixa “verde” do app. Vai significar que terei corrido 250Km em 1 ano de uso. E na prática é o primeiro ano que uso as corridas como parte da minha preparação esportiva.

Já fiz corridas de 10Km, mas o meu grande problema é conseguir manter o foco. Eu consigo passar 1 hora arremessando uma bola de basquete fazendo séries de arremessos. No caso da corrida é mais complicado. Por isto opto pelas corridas de 5Km.

E confesso que no caso da corrida, é o app Nike+ que me ajuda a querer ter um ritmo. Consigo fazer desafios com amigos e comigo mesmo. Fica a dica para você achar algum aplicativo que possa ajudar no seu treino!

O mais importante é ter um ritmo, e buscar melhorar ele revendo regularmente seus objetivos.

Nesta história de criar ritmo, me lembrou de uma apresentação que fiz no Agile Brazil 2012.

en: How to disable pop-up notification for Skype on Mac OS X

So, I’m a Mac OS user for almost an year now, and to increase my productivity I always disable notifications whenever I can.

For Skype, I used to turn-off the app when running my pomodoros (in my case songdoros), cause I don’t want to receive notifications from it. But, sometimes people call me using Skype and Skype-in calls my mobile. So, I want to know people are calling me and delay the response for later. I don’t want to be disturbed.

Are you a Mac OS user? Want to disable those pop-ups in Skype?
So there you go!

Go to System Preferences, check category “Other” and there you have Growl. Click on it, and you will see a list of applications that are using Growl. Select Skype and then click Configure >> Notifications. Now you can set preferences for events related to Skype.

Example, disable Contact Signed In or Contact Signed Out and get your focus back!

pt: Agile Brazil 2011 – Aí vou eu!

Eu vou no Agile Brazil 2011, e vou participar de algumas atividades durante o evento. Vamos por dia!

Dia: 27 de junho de 2011
Treinamento de Test Driven Development com outras figuras da comunidade ágil do Brasil. Na edição de 2010 oferecemos um treinamento de eXtreme Programming. Neste ano vamos focar na prática de Test Driven Development, trabalhando com práticas relacionadas ao TDD. TDD é para a vida inteira!

Dia: 28 de junho de 2011
Estarei assistindo o treinamento de Lean, do meu amigo Christopher G. Thompson, do Lean Institute Brasil. Estarei lá para participar de boas discussões!

Dia: 29 de junho
Inicio no primeiro dia de evento com o workshop Da visão a produção – Criando produtos e lançando ao mercado. A ideia é dar dicas de como estruturar a criação de um produto e preparar o seu lançamento. A partir de ideias elaboradas de exemplos de produtos os participantes serão desafiados a trabalhar questões como roadmap, pitch de venda, lançamento estilo hollywood, e formas de como criar um produto que pode ser lançado aos poucos e realmente testar e buscar mercado. É colocar as práticas ágeis e conceitos de lean startups na prática e poder levar isto para a vida real. Serão 110 minutos de prática! Aparece lá!

Dia: 30 de junho
Lightning Talk “Jogue basquete e desenvolva times multifuncionais“. O objetivo é falar a respeito dos ensinamentos do basquete e como as equipes podem crescer com isto.

Lightning Talk “Ramones ou Jazz? Ou os dois? Buscando produtividade com músicas” em par com o Helio Medeiros (@helmedeiros). Objetivo da palestra? Gerar concentração, buscar motivação, acreditar que uma música pode ajudar a buscar resultados. Tudo isto usando a pomodoro technique em um ritmo alterado, através das músicas e do “songdoro”, que mistura pomodoro technique com o conceito das powersongs.

Lightning Talk “Desenvolvimento Orientado a Testes — Está na hora de aplicar no seu trabalho!“. Em uma entrevista de emprego, o candidato se diz praticante de Test Driven Development. Pratica em casa nos projetos pessoais, na faculdade, nos coding dojos que participa nas comunidades que faz parte, mas não pratica no trabalho. Lá não dá. E como fica? Descubra abordagens para fazer o assunto acontecer no trabalho também.

Fora isto, espero poder participar e puxar alguns Coding Dojos e parear com algumas pessoas! Os projetos podem ser o @catarse_, o @letshelpit ou algum outro projeto que apareça até lá… e pior que vai aparecer mesmo. Faço atualizações por aqui… 🙂

Acompanhe as últimas novidades do evento pelo twitter @agilebrazil ou siga a tag #AgileBR para obter mais informações e comentar sobre o evento.

A Trevisan Tecnologia, empresa que atuo como CTO, é uma das apoiadoras do evento. Poder contribuir com a evolução e o ensino do assunto no mercado brasileiro deve ser tarefa de todos. Seja ensinando práticas enquanto ensina uma nova linguagem de programação, seja criando uma nova empresa com os princípios do Lean Startup e por aí vai.

Se a sua empresa também tem interesse em apoiar com patrocínio, veja mais informações no próprio site do Agile Brazil.

Spike Solutions – Why the world would be better if development teams use this as a default

When teams want to build new features in a software, what do they do?

Well, some teams I know, they plan. They build a big plan. BIG means at least 50 pages of non-structured text and diagrams that don’t say nothing about the real problem. And they do meetings!
After two months, they have a document baseline. And now, they can start design phase.

That’s no good!

We are living a time where delivery is not even important. Delivering new and valued features is a must.
We need to move faster. We need to understand risks.

We need to find as soon as possible if we are moving in a wrong direction.

So… we can choose the way we move!

There’s a technique / practice in eXtreme Programming called Spike Solution.

Spike solutions are used to understand a problem. They are used to help teams in estimation. You do spikes to know if something is huge, or if it’s a problem easy to solve.

Bottom line: You do spike solutions to learn faster about something.

So, if you are planning to do a new feature for your software, you have to do spikes. Together with spiking, do drawings to understand connections, to figure out more about user needs, do paper prototyping! Also minimize risks and understand non functional requirements.

How much time do you have for a spike? I would say no more than 4 cycles of pomodoros, or songdoros if you like the technique. By a cycle I mean four 25min focus +5min resting cycle and an extra 30min cycle after that. If we transform that in time, that’s no more than 10 hours of research. That’s actually 8 hours based on pomodoros + 2 hours resting giving space to your brain to mix current learning with what you already know.

Give it a try and help your team to find results faster. Don’t forget to document your findings and transform your spike at least in knowledge. At best in the beginning of a new feature! Enjoy!

en: Mixing Tomatoes with Songs? That’s a SongDoro!

Quer ver esta história em português? Siga por este post então: Songdoro! Ganhe tempo ouvindo música!

You may be aware of the pomodoro technique, a simple time management tool where you run short cycles on “full focus mode” during 25 minutes, rest 5 minutes and then you run again another cycle.

After four cycles, you have a big 30 minute break.

Repeat that and get all your things done in a funny and focused way during your day.

Simple right? It’s awesome, and it works!

How it works?

To run this you need to have a prioritized list of tasks you want to accomplish and you can use those to focus on your “pomodoris”, a.k.a. the short cycles. If some new task comes up, you add that to the bottom of the list, in a section called unplanned tasks, so you can understand what came up during your day.

I always used a kitchen timer or my cellphone timer to manage my time. Here is my kitchen timer, that I use to celebrate my pomodoris:

So far, all the same right? So here I go again.

Well, a friend of mine was talking about how he introduced the subject to a friend. He ask the guy to focus on one task while listening to a Ramones CD. No interuptions during that period. None. The guy finished one task before the CD finished. Somewhat like 30 something minutes. That’s Ramones. He was supposed to take 2 hours to do that. The guy loved!

That’s one story. Keep that in mind.

I was talking to my sister, about Power Songs. She is a runner, and she always use Power Songs to get that extra motivation. You may run listening songs, using a default or random playlist. But, you gotta have those special songs right? Well, those are your power songs!

By using a Power Song the runner can find that “instant” energy needed to finish a course. You can find some products like iPods+Nike kit with that resource or something, you can find people, like runners and bikers talking about Power Songs.

Ok?

Ok.

So…

If I use those two ideas together, I get the SONGDORO! 🙂

The idea is simple, you build playlists to focus on what you have to focus, and everytime you build a playlist, the last two songs, are your power songs.

When you listen those powersongs, you know you are at the end of a songdoro, and you gotta do what you gotta do!

And, when you listen to your break song, you stop doing and break for five minutes. My break song is Harvest Moon, from Neil Young. Duration? 5 minutes!

So, that’s the idea. 30 minutes playlist, where 25 minutes of songs + 5 min break song. The break song is always the same!

Take a look into one of my SongDoros. I’ve built a sample playlist at Groove Shark to share this. This is for one songDoro, atually I could say a “songdori”, with 25 min + 5 min break 🙂

Example: from a classic songdoro I have, the break song is Harvest Moon. My power songs in this example are:
– 12:51 from The Strokes, and
– Basket Case from Greenday.

Try it! Enjoy it!