O jogo do minimalismo

Eu gosto de jogos pelos desafios. Se um jogo é fácil demais, ou se eu vou jogar e tenho certeza de que vou ganhar, não quero jogar. Perco atenção fácil. 

Me lembro quando em 1994 vou participar pela primeira vez em quadra de um treino de basquete. Pense em alguém perdido, perdido mesmo. E isso não é papo para te convencer tipo jornada do herói. Pode procurar meu sócio no Treine Basquete, o Rafael Marimon, que já jogava muito basquete naquela época, que ele pode confirmar o quão ruim eu já fui (não que eu seja bom hoje :P).

Bom, o lance é que eu venho prestando atenção no minimalismo faz algum tempo. Aqui não falo sobre design minimalista nem outras formas de minimalismo, mas no pensamento de uma vida minimalista. Sempre pensando na frase base “Menos é mais”.

Continuar a ler