Vai empreender? 3 dicas para você sair do chão!

Empreender sempre é desafiador. E para começar este post, vamos lembrar aqui que empreender não quer dizer você ganhando um CNPJ. Empreender é conseguir ou tentar fazer (algo muito difícil). Tentar. Colocar em desenvolvimento e/ou execução. Realizar.

Com isto, fica claro: empreender não é só criar uma empresa nova. Empreender pode ser um projeto novo dentro da empresa que você trabalha hoje. Empreender pode ser simplesmente um plano B que você está iniciando na sua casa durante os finais de semana. O principal deste processo é estarmos preparados para o sucesso e para a falha. No caso do sucesso, buscar o aprendizado de boas práticas que podem ser repetidas. E em caso de falha, não perca tempo criticando suas ações. Aproveite para aprender e tomar ação. Este aprendizado é essencial para os seus próximos passos.

Vamos para as 3 dicas?

Continuar a ler

Como vai o seu twitter? Saiba o impacto do que você coloca na rede!

Estava conversando com um amigo sobre o uso do twitter para analisar o engajamento das pessoas nos tweets que são realizados. Opções existem várias pela internet, mas a própria ferramenta nos fornece excelentes canais de visualização e muita informação sobre o que divulgamos.

Comentei com este amigo sobre a ferramenta de analytics do Twitter onde podemos medir algumas coisas bem legais, exemplo:

Continuar a ler

Bate na palma da mão! Conheça o Thunderclap!

thunderclapBater palma sozinho no meio da multidão pode ser algo complicado. Sem força. Só que quando conseguimos organizar com outras pessoas um movimento e buscar o engajamento de mais participantes, começamos a ter um efeito orgânico. Mais e mais pessoas participando, engajando e querendo fazer parte de algum movimento, de ajudar alguém a fazer alguma coisa. Sentimento de causa.

Uma ferramenta que pode ajudar na divulgação de projetos, produtos e/ou serviços é o Thunderclap. O princípio é usar um processo de “crowdfunding”, onde o pagamento é um post em rede social. No caso do #VivaSeuTempo, meu livro que estou escrevendo, é uma estratégia para buscar mais gente interessada em apoiar a ideia e ajudar na divulgação.

No dia 26 de maio, se eu tiver sucesso em conseguir 100+ pessoas que entrem na campanha, teremos uma grande divulgação sincronizada do livro.

Isto vai ajudar que mais pessoas conheçam um produto ou serviço e neste caso, o livro. 🙂

Ajuda aí!

Criando uma comunidade com conteúdo

Estava conversando com um amigo e comentando sobre o processo que estou fazendo, de desenvolver uma newsletter para avisar quem curte acompanhar o meu trabalho das novidades, palestras, vídeos publicados e outras coisas que podem passar desapercebidas das redes sociais.

E a pergunta que veio foi simples: mas ainda existe mail marketing?

A resposta é sim. E claro, tudo depende do que se quer fazer com o mail marketing. Quero construir uma rede que vai poder receber conteúdo que produzo. Desenvolver e nutrir esta lista é o grande desafio.

Email ainda é um dos meios mais efetivos para comunicação. Tudo bem que podemos fazer isto tendo assinantes de canal no youtube, seguidores no twitter, curtidas de página no facebook, mas ainda, pode ter certeza, nenhum meio é mais efetivo que um bom email enviado. E por isto que precisamos saber como nos comunicar, ter permissão de fazer o envio e tratar de comunicar somente com pessoas interessadas. Por isto a importância de uma política anti-spam.

Tudo isto faz parte do processo de criar produtos. Um livro é um produto, mas poderia ser um software ou um serviço. Criar conteúdo manter contato com as pessoas que possuem interesse é muito importante.

Ter uma lista de emails e desenvolver uma comunidade pode ser tão importante que coloco aqui um vídeo do Jeff Walker, que é uma das referências no processo de lançamento de produtos (aqui no Brasil quem puxa o assunto é o Erico Rocha com a Fórmula de Lançamento). Os dois reforçam muito sobre a importância na construção da lista.

Este processo de montar lista, tem acontecido com os livros que estou escrevendo. Nos dois casos, estou montando uma lista com pessoas interessadas nos assuntos tempo / estilo de vida e user stories / desenvolvimento de projetos / especificações, e tenho a chance de me comunicar com estas pessoas, passando conteúdo exclusivo. E neste caso são conteúdos entregues em formato de livro, mas também pode acontecer com vídeos como os que publico no meu canal do youtube.

Escrever é bom, mas melhor do que isto é escrever para pessoas interessadas em ler e discutir o assunto em questão. Muitas vezes recebo retorno dos emails que envio e tenho a chance de aprender coisas novas e legais que as pessoas que me acompanham me ensinam também.

Contribuição, colaboração, gratidão. E assim o mundo vai seguindo.

— Daniel Wildt (faça parte da minha lista e receba um capítulo do #VivaSeuTempo)

 

Três dicas na produção de conteúdo!

Eu tenho estudado mais e mais sobre marketing e sobre processos de criação de conteúdo. Eu quero criar conteúdo que tenha valor para quem me acompanha nos blogs que escrevo e redes sociais. Separei três dicas.

1) Tenha um ritmo de publicação e momentos para reflexão!

Eu já fiz alguns testes no passado, de publicar um post por dia, mas naquela ocasião a publicação se tornou uma obrigação e não foi legal. Acabei depois deste processo ficando sem publicar coisas por mais de um mês. Depois comecei a retomar e vi que poderia publicar a cada três dias, mas de vez em quando eu falhava. Eu não tinha um ritmo. E este ritmo é igual ao que temos no nosso dia a dia de trabalho, onde queremos entregar valor para quem trabalha conosco.

O que comecei a notar não era que eu simplesmente falhava em publicar conteúdo novo. Eu não tinha tempo! 🙂 Só que não existe isto de não termos tempo. Existe não priorizarmos. E neste caso eu estava tirando do meu dia um momento de validar os meus aprendizados. Do que adianta aprender, aplicar se não é possível refletir sobre o que se aprendeu, sobre o que se aplicou e entender as relações deste aprendizado com outras áreas da nossa vida?

Em 2013 eu comecei a tocar alguns projetos de escrita mais contínua. Fiz um livro de poemas (baixe gratuito). E junto com este comecei a montar material para um outro livro, sobre estilo de vida, gestão de tempo e outros assuntos que me ajudam muito a tocar a minha vida.

Na metade do mês de abril, mais exatamente dia 17 de abril, eu comecei a publicar conteúdo no blog novamente, mas o que acontece de diferente agora é que desde o ano passado, eu criei um espaço no meu dia para pensar sobre meus aprendizados ou sobre novas sacadas de coisas que aprendi em dias anteriores e que “fizeram sentido” agora. O que tem feito a diferença é ter criado este momento de reflexão, onde eu ganho a chance de escrever.

E importante! Não é necessário ter este momento de publicação todos os dias. Você pode em uma hora de espaço de escrita fazer três ou quatro posts sobre assuntos de interesse, e usar a função de agendamento do blog para fazer os posts entrarem em datas e horários que sejam de acordo com o ritmo que você quer criar. 🙂

2) Crie conteúdo de valor, alinhado com o seu posicionamento nas redes sociais

Cada rede social tem um objetivo. Você precisa se posicionar e entender como quer estar em cada canal. Seu público espera isto. Se você quer compartilhar vídeos engraçados, seu público vai buscar o seu conteúdo por isto, justamente porque você pode ser reconhecido por compartilhar vídeos realmente engraçados.

Existem alguns aplicativos, exemplo Klout,  que ajudam a entender onde estamos sendo relevantes, com base no feedback que temos do nosso público. São aplicativos que ajudam a criar uma noção sobre quais assuntos estão sendo mais úteis para publicação no contexto em que estamos. Aqui uma palavra muito importante, criar contexto. E com isto quero dizer que você não precisa ficar fixo em determinados assuntos. Justamente publicar coisas diferentes pode ajudar a fazer novas conexões e ter mais pessoas tendo acesso ao conteúdo que é gerado.

Sobre o criar conteúdo de valor, aqui vai de você publicar apresentações que tem feito, e de entregar assuntos que são do interesse do público. Mande o seu melhor, não seja superficial quando publicar conteúdo. O fato de você publicar algum segredo, não faz o seu público fugir de algum treinamento que esteja sendo oferecido. Justamente acontece o contrário. As pessoas se interessam e querem participar de ações que você faz parte. Acho que o ponto aqui é não ter medo de inovar. E não ter medo de testar o conteúdo do que pode se tornar um curso novo ou um novo livro ou algum artigo mais aprofundado.

A criação de conteúdo de valor também está relacionado ao processo de produção do conteúdo. O estilo de apresentações que usamos, as características visuais, tudo isto faz parte deste processo. E não tenha dúvidas, para melhorar a apresentação e o conteúdo, precisamos praticar, receber feedbacks, e tentar estratégias diferentes.

3) Teste o uso de vídeos! 

Ter conteúdo em vídeo ajuda a criar relacionamento com a comunidade que assiste você. Eu estou tendo a oportunidade de gravar alguns vídeos e eles tem me ajudado e muito a conhecer mais do mercado. Um dos vídeos que fiz sobre desenvolvimento de modelos de negócios tiveram acessos bem legais e esta ação me ajudou a criar oportunidades de palestras e entrevistas por aí.

Então não tem jeito, temos que praticar e buscar capacitação para a criação e edição de vídeos. Isto vai desde canais como Wistia com dicas muito legais para montar a iluminação para gravação.

Resumindo!?

Eu pretendo fazer um post por dia aqui no blog, incluindo finais de semana, com alguma coisa que aprendi, e espero que este conteúdo seja de interesse seu.

O mais importante é que estarei testando mídias e estratégias diferentes para ver qual forma de conteúdo pode ser mais efetiva. Vou acabar indicando para você outros canais que escrevo, mas pode ter certeza. Aqui sempre vai ter conteúdo novo ou conteúdo que eu acabei lendo novamente e que vejo como valiosa a releitura.

Pedido! E se você tem interesse que eu publique sobre algum determinado assunto, pode deixar um comentário por aqui ou fazer contato por alguma rede social, que certamente vou mandar minha opinião e dicas, se o assunto em questão estiver no meu posicionamento, claro. 🙂

— Daniel Wildt

Presença nas redes sociais x carreira profissional = Planejamento e foco

Com quantas redes sociais se faz uma presença na internet? Estava lendo faz um tempo, um post do Interney sobre isto. Ele tem presença em muitas redes, mas como gerenciar tudo isto?

Vou relatar como tenho usado redes sociais. O objetivo de estar presente nas redes sociais, é poder manter e crescer networking. E acima de tudo, contribuir, colaborar, ensinar e aprender. Enfim, me divertir! 🙂

Networking + Currículo Vitae = LinkedIn, que me ajuda a manter contato com colegas de empresa e de pessoas que conheço em eventos de tecnologia. O conteúdo que publico por ali é 110% profissional.

Atualização de questões profissionais, exemplo palestras, artigos e coisas que acho interessante em tecnologia = Twitter (@dwildt). Tento focar muito para que tudo o que sai no @dwildt seja focado em tecnologia, grupos de usuários (exemplo o GUMA-RS ou DUG-RS ou RSJUG), metodologias ágeis (Pingos de Agilidade e aqui mesmo) ou divulgando algum site que mantenho, exemplo o Tresler (literatura / música) e o RS Basketball (Basquete)… e alguns blogs que vão virar produto (aguarde e confie) como o Compre Pouco. Ufa! Como dá para notar, busco a maior influência através de tweets. 🙂

Coisas mais pessoais ou, TV, Filmes, Nike+ (vai ter post em breve), e FourSquare/Swarm = Facebook. Aqui é mais liberado, me permito lançar coisas mais pessoais do que no caso do Twitter, que sempre tem um foco no lado profissional. Tenho usado o Snapchat neste sentido também.

Fotos = Flickr e Instagram. E que nestes casos normalmente vão acabar indo para o Facebook. Se for de algum evento de tecnologia, acaba indo para o Twitter. Para trabalhar o “online” uso o snapchat, para contar uma história, ou uma declaração.

Vídeos = youtube para vídeos atemporais e nos inusitados ou mais objetivos, instagram, snapchat ou facebook

Apresentações = Slideshare. Tenho colocado por lá as apresentações que faço e não tenho mais enviado PDF para cá e para lá com as mesmas. Agora uso menos por trabalhar muito com mapas mentais (e neste caso o instagram ganha mais) ou muitas vezes nem uso apresentação visual. De qualquer modo, normalmente vai pro youtube. 🙂

E Google+, We Heart It, FormSpring (#RIP), Pinterest, MySpace, GoogleReader (#RIP), Orkut (#RIP)? Eu até tenho um “login”, mas não dou atenção para elas como para as citadas acima.