Hoje é o primeiro dia do resto da sua vida. Bora?

Durante a minha vida profissional aceitei alguns desafios que, apesar de muito legais, acabaram se tornando problemas. E não pelo desafio profissional em si, mas pelo excesso de energia mental e física que demandavam.

Só que já passei por situações que demandavam muito mais energia do que as problemáticas, e conseguia viver “rindo”. Aqui tem um componente de buscar fazer o que se gosta, mas nem sempre conseguimos notar o que acontece, pelo piloto automático que funciona dentro da nossa cabeça.

Continuar a ler

The Developers Conference 2014 – Florianópolis!

Felicidade por poder participar de mais um TDC! Já tive a oportunidade de participar de atividades em 2012 no TDC de Florianópolis (palestrante Agile e Empreendedorismo), e depois em 2013 no TDC São Paulo (Startup Hackaton) e TDC Porto Alegre (Agile, Java, e apoio na organização do TDC)!

E neste ano… vamos de novo!

banner-TDC2014-floripa-250x120Dias 15 a 18 de maio Florianópolis recebe mais uma edição do TDC. Eu chego na cidade para atividades nos dias 17 e 18 de maio! A Wildtech é uma das apoiadoras!

No dia 17, na trilha Agile, estarei palestrando junto com o Dionatan Moura  (RSJUG|PROCERGS).

Desenvolvimento Orgânico de Software com User Stories – Contar histórias é uma forma interessante de engajar leitores em um determinado assunto. Ser capaz de desenvolver software contando histórias é uma forma simples e orgânica de mostrar evolução do conhecimento de um time sobre processos de negócios, envolvendo todo o time através de uma linguagem comum.

User Stories escrevem de um modo ágil os requisitos do usuário no desenvolvimento de software, instigando os valores ágeis num projeto. Mesmo sendo criadas no XP, elas são uma excelente forma de Backlog no Scrum ou Kanban. Elas auxiliam na identificação do valor de negócio dos requisitos e focam-se totalmente no usuário final.

Dicas serão apresentadas para obter boas histórias de usuários. Do outro lado da moeda, bad smells também serão discutidos para evitar problemas em seu uso. [ver slides]

No dia 18, participo de duas atividades. Primeiro uma palestra, na trilha de Management 3.0:

Aprendendo a aprender, autonomia e o desenvolvimento das organizações – Vamos falar sobre ensinar, aprender e como tudo isto está ligado no processo de evolução das organizações e do plano pessoal de quem faz parte das organizações. E como tudo começa na sala de aula, mesmo que não exista uma.

E também no dia 18, estou ajudando a organizar a trilha de Startups! Muito papo sobre empreendedorismo e criação de produtos e serviços. O dia vai terminar com um fishbowl que vou ajudar a facilitar.

Depois disso é voltar para casa e começar uma nova semana com muitas coisas novas para colocar em prática! 🙂

O aprendizado… sempre que possível na prática, ok?

learnersAprender lendo livros é legal. Aprender ouvindo alguém falar é legal. E aprender praticando, ensinando, escrevendo ou colaborando com outras pessoas? Estas podem ser estratégias muito mais efetivas. Temos a chance de sair da imaginação e ter ação!

E o grande problema é que não se precisa de muito para fazer isto acontecer. Podemos buscar oportunidades de praticar conhecimento de diferentes formas. Veja exemplos:

  • Dentro da empresa que trabalhamos, intraempreendendor. Achar oportunidades de melhoria e chances que se tem de exercitar gestão e liderança. E ainda por cima oportunidades de gerar inovação para a empresa.
  • Praticando um esporte ou simplesmente um hobby, que vai permitir desenvolver uma rede de contatos que pode ajudar a gerar novos projetos e outras oportunidades.
  • Estabelecendo um projeto paralelo, empreendendo e colaborando com outras pessoas com a mesma causa.
  • Realizando trabalho voluntário, em alguma organização que possua uma causa e objetivos que fecham com os seus.

Qualquer uma destas opções, entre outras várias, vão gerar oportunidades de prática para assuntos que você quer aprender.

Agora, nota que em todas as opções existe um componente muito forte de interesse. Em todos os casos eu acabo indicando que devemos buscar algo que seja relacionado ao nosso dia a dia. Não ter tempo para se dedicar ao que se quer não é mais suficiente e não é mais aceitável. Podemos adaptar a nossa rotina e criar tempo por menor que seja para conseguir alcançar novos objetivos.

Eu nos últimos anos consegui mudar minha rotina algumas vezes, aprendendo coisas novas, melhorando o meu dia a dia e podendo colocar em prática muito do que ando aprendendo.

Um exemplo simples, é que criei tempo para poder ler um livro por semana. Já estou terminando o quarto livro. Segundo uma pesquisa de 2012, o brasileiro lê em média 4 livros por ano. Eu li em 4 livros em 4 semanas!

Palestra: aprendendo a aprender, autonomia e o desenvolvimento de organizações

Esta é a palestra que fiz na Faculdade Senac Porto Alegre sábado, 26 de abril, falando sobre “aprender”. A descrição base dela era esta:

Vamos falar sobre ensinar, aprender e como tudo isto está ligado no processo de evolução das organizações e do plano pessoal de quem faz parte das organizações. E como tudo começa na sala de aula, mesmo que não exista uma.

Isto vai falar para o aprender no nosso dia a dia, para um adulto ou criança que está em busca da sua autonomia, e passando por processos de mudança, do aprendizado no nós, e também no Eu. Principalmente, vejo uma busca por progresso e a eterna luta contra medo, falha e outras coisas que podem mas não devem nos travar. E por isto a importância dos processos de mudanças que temos pela nossa frente, que nos permitem evoluir e refletir de forma constante. A humildade de viver em eterno aprendizado acho que é um processo interessante. De buscar uma identidade e cultura em cada grupo que temos a oportunidade de conviver. Até encontrar nossa identidade. E começar um novo processo de aprendizado, progresso, mudança e novas descobertas.

20140426-082324.jpg

Se interessou? Quer saber mais sobre este assunto? Se liga nesta aula que estamos montando na Wildtech, a MÉRITO. Estas constatações estão sendo juntadas todas para esta aula. Quer levar esta discussão para tornar sua empresa uma organização em eterno aprendizado?

Melhoria contínua e autonomia acontecem, mas existem alguns fatores que promovem este processo e o desenvolvimento das pessoas. E por consequência, das organizações que fazem parte. 🙂

 

Quer montar apresentações melhores?

Uma das coisas que tenho  “notado” no meu processo de criação de apresentações, é que nomalmente tenho começado com um mapa mental. Em alguns casos o mapa mental vira a própria palestra. Foi assim por exemplo no GU Day, em que fui fazer uma palestra curta sobre cultura de aprendizado e desenvolvimento de times de alto desempenho.

Acabou que fiz a palestra sem usar slides, tendo o mapa mental como um guia para os assuntos que queria tratar durante o papo com os participantes do evento. Se você quer curtir a palestra mesmo, ela está disponível no meu canal do YouTube.

Mapa Mental usado em uma palestra sobre Cultura de Aprendizado e desenvolvimento de equipes de alto desempenho.

Usei esta mesma estratégia em um outro evento, onde fui palestrar sobre Agilidade, explorando um pouco os valores e a própria cultura ágil. O ponto é que toda a apresentação roda em volta do assunto central, e vou encontrando outros assuntos importantes de serem tratados. O principal é lá nas folhas finais do mapa mental, onde vamos encontrar as dicas reais a serem passadas para os participantes.

Agora, se você quer montar slides, tem algumas dicas para leituras a serem feitas. Fiz um vídeo sobre isto faz um tempo, passando algumas dicas, que já deixo para vocês além deste vídeo alguns autores e artigos que podem ser de interesse. Tem um post mais antigo sobre isto também.

Olha artigos e sites legais para você conhecer: