Cultura de Agilidade – Playlist e novos caminhos

Nada se cria, tudo se transforma! E indo nesta linha, dado que meu projeto de #CrowdFunding não aconteceu, aproveitei para publicar uma lista de vídeos que já tenho no youtube ou que produzi durante a campanha, falando sobre o assunto Cultura de Agilidade.

Continue a ler “Cultura de Agilidade – Playlist e novos caminhos”

Planning poker para times distribuídos

Algumas equipes usam estimativas ou classificam o trabalho para poder entender o que precisa ser feito. Outras funcionam sem as tais estimativas. Usam classes de serviço, que é um assunto excelente e merece um post em separado.

Indo para o lado das estimativas, me perguntam: e os times que trabalham com estimativas, o que podem fazer no caso das equipes que trabalham de forma distribuída?

Continue a ler “Planning poker para times distribuídos”

Minha equipe/empresa quer adotar metodologias ágeis. Quais os benefícios?

O principal? Uma mudança de atitude na organização. Ter pessoas que estão interessadas em mudar e melhorar. E neste ponto, as empresas começam a encontrar e buscar um perfil profissional com características de trabalho em equipe, atitude, pessoas focadas em melhorar continuamente. Em colaborar.

Qual o ponto?

Continue a ler “Minha equipe/empresa quer adotar metodologias ágeis. Quais os benefícios?”

Cultura de Agilidade – o projeto de Crowd Funding

Na minha opinião, fluidez é a chave para desenvolver pessoas e equipes. Precisamos encontrar consistência e um ritmo de entrega e por assim dizer, de aprendizado.

No entanto, as coisas não funcionam bem assim. Equipes se tornam disfuncionais por diversos motivos. Exemplos? Dificuldade ou falta de:

Continue a ler “Cultura de Agilidade – o projeto de Crowd Funding”

Queremos uma cultura vencedora ou causas?

No processo de desenvolvimento de equipes e de organizações, me deparo conversando com equipes sobre a cultura que está sendo cultivada e construída de forma coletiva. No entanto, quando passo a conversar com indivíduos, vejo que na verdade eles desenvolveram ligações de causa com a empresa e equipe que fazem parte.

E aí, como faz?

Continue a ler “Queremos uma cultura vencedora ou causas?”