E o Delphi fez 18 anos

A cada nova tecnologia e a cada nova linguagem aprendida, nos desenvolvemos e melhoramos como profissional e como pessoa. Quando aprendi Java, comecei a desenvolver melhor em Delphi. Quando aprendi Ruby, Python, foi um outro salto com as outras linguagens. O Delphi sempre terá seu lugar, pois foi a linguagem que me permitiu desenvolver muitas habilidades que hoje são muito importantes na minha vida. — Daniel Wildt

No dia 14 de fevereiro o Delphi completou 18 anos da sua criação. Alcançou a maioridade? O produto tem buscado seu espaço novamante. Recentemente foi premiado… tudo ajuda neste processo.

Hoje, 22 de fevereiro, estou completando 34 anos. E parei para pensar um pouco sobre “Eu, Eu mesmo e o Delphi“. Hehe.

Eu comecei a trabalhar Turbo Pascal, Turbo C++ e Turbo Assembler na faculdade em 1996/1997. Em 1996 tive meu primeiro contato com o Delphi 1 através de uma empresa em que atuei com suporte técnico.

Comecei a trabalhar profissionalmente com o Delphi em 1997. E com cada versão uma pequena lembrança:

  • Delphi 1 (programação orientada a eventos, saindo do Turbo Pascal)
  • Delphi 2 (ótimo, mas sem code complete)
  • Delphi 3 (componentes web! e midas começando… code complete!!)
  • Delphi 4 (docking e midas melhorado, na época do inprise… acabei usando muito pouco esta versão)
  • Delphi 5 (yay!)
  • Delphi 6 (saudoso da minha primeira certificação em 2002, também o ano em que iniciei atividades como instrutor oficial da ferramenta, dbExpress!, WebServices!)
  • Delphi 7 (para mim ainda a melhor IDE criada e que até hoje muita gente usa)
  • Delphi 8 (.NET chegando na história, DUnit sendo embarcado na ferramenta, MDA tomando forma com o ECO — Bold nas versões antigas)
  • Delphi 2005 (aqui lembro em um 20 de setembro, feriado no Rio Grande do Sul, quando fui para SP e consegui passar na certificação de Delphi.NET)
  • Delphi 2006 (minha última certificação foi no Delphi 2006 Win32)
  • Delphi 2007, 2009, … e começam os XEs! Chegamos aos dias de hoje!

É um tempo já acompanhando este mundo. Eu agradeço ao Delphi por tudo o que ele me proporciona. Conheci pessoas que são meus amigos e profissionais de mercado que respeito. Pessoas que serviram como modelos para mim, seja desenvolvendo, em atividades de consultoria, coaching ou mesmo quando estou em sala de aula. E uma comunidade que sempre posso contar.

O Delphi também ajudou a me tornar um escritor. Através da ClubeDelphi e ActiveDelphi, pude desenvolver  a escrita técnica e  ajudar a comunidade em diversas ocasiões. Diversos assuntos trabalhados, desde Midas (DataSnap), Decision Cube, RTTI, Automação de Testes com DUnit, até falar sobre Paradox (no artigo “azar eu gosto”), Interbase e outras coisas legais.

Até em programas de TV apareci, em 2005 e 2009 através de entrevistas em eventos em que palestrei.

Sempre bom lembrar destas experiências.

Para dar mais gosto ainda, no ano passado fui convidado para fazer parte do time de MVPs que ajudam a divulgar a ferramenta e engajar a comunidade. Já faço este trabalho desde 2002 quando comecei a trabalhar como instrutor. E formalmente desde 2003 tenho um trabalho de comunidade quando fundei o DUG-RS junto com o Rafael Helm. Hoje tenho como missão neste trabalho de MVP poder compartilhar o uso de práticas ágeis para a comunidade Delphi. Trabalhar conceitos de desenvolvimento orientado a testes, automação em geral, enfim, práticas que ajudem no desenvolvimento de desenvolvedores profissionais. E desenvolvimento de produtos que possam trazer valor efetivo aos clientes que fazem uso dos mesmos.

E era isto. Rumo aos 19 anos Delphi! E eu vou rumo aos 35! Let’s go!

Fotos e participantes do #RHoK 2012 em porto alegre!

Veja algumas fotos do #RHoK 2012 que ocorreu em Porto Alegre.

Tivemos um todo de 37 pessoas inscritas (uhu!) e 13 pessoas (serve!) que compareceram no escritório da ThoughtWorks em Porto Alegre para participar de iniciativas!

Fizemos novas funcionalidades para o Let’s Help It e também para a iniciativa do website da Vila Pinto. O que são estes projetos? Veja este post sobre as iniciativas!

Agradecimentos aos participantes!

E agradecimento especial para a ThoughtWorks Brasil, sempre apoiando as iniciativas para geração de conhecimento e engajamento social! \o/

Tempo de movember – isto me lembra que a desconf 2012 está chegando!

Em novembro, ou “movember“, acaba sendo um mês de apoio a causa de saúde masculina. Uma iniciativa que começou lá em “down under” reúne bigodes do mundo todo para juntar fundos para pesquisas do câncer de próstata. Já é um movimento mundial, que já reuniu +100 milhões em doações no último ano.

Isto me lembra duas coisas.

A primeira, o próprio movimento Movember. Adam Garone fez uma palestra no TEDxToronto em 2011 sobre a iniciativa. Vale assistir para conhecer mais sobre como tudo começou e também como se divulgou pelo mundo. Você pode acompanhar um leaderboard com os países que mais doaram para a iniciativa. E ver no YouTube muitos outros vídeos sobre a iniciativa.

Desconf 2011 Mustache EditionA segunda, é que me lembra da edição de 2011 da Desconf, que foi uma “Mustache edition”.

E 2012?

Estamos preparando uma nova edição, que vai rolar na noite do dia 17 de dezembro de 2012. Iremos reunir 20 palestrantes e um total de 60 pessoas para tratar de empreendedorismo, design, desenvolvimento de produtos, serviços, software, falar de inovação e da vida. Falar de metas, de frustrações, de ações e canções.

Em 2010 eu palestrei sobre basquete. Em 2011 falei sobre o Mantra das Possibilidades. E em 2012? Em breve saberemos!

E você? Venha participar. Venha acontecer!

Agile Day 2012 – um sucesso!

Tivemos mais de 140 participantes durante o Agile Day 2012, que foi realizado no dia 7 de novembro no UniRitter em Porto Alegre.

Que momento legal para fechar o ano de 2012 do Grupo de Métodos Ágeis do RS. Deixo alguns links complementando o que ocorreu no dia:

  1. Link para a programação do evento.
  2. Site do Grupo de Metodologias Ágeis do RS. Fique atento a novidades e planejamento para 2013.
  3. Post do Jorge Audy sobre o evento e links para as palestras apresentadas.
  4. Fotos do evento, de um álbum do meu flickr.

Obrigado a comunidade gaúcha e que venha 2013 com mais eventos do GUMA-RS!

GU Day!! Está chegando a hora!

Dia 27 é um dia importante, por ser o dia do primeiro GUDay! Um evento que reúne diversos grupos de usuários da SUCESU-RS para tratar de um tema em diversas perspectivas. Nesta edição o tema escolhido foi mobilidade!

Vamos começar com um keynote de Cassio Bobsin, que abre o evento falando sobre “Ecossistema da Mobilidade”. Depois teremos diversos grupos de usuários falando em apresentações curtas, de até 20mins. Quais grupos? Gestão de Projetos, Gestão de Conhecimento, Análise de Negócios, Agile, Arquitetura, Risco e Compliance, e muitos outros! Contaremos com um case do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, um painel de mobilidade moderado por Alexandre Trevisan (Diretor de Telecomunicações da SUCESU-RS). E para fechar o evento? Um clássico Fishbowl para a platéia poder resumir, discutir e fechar o evento com chave de ouro!

Quer ganhar um ingresso para participar do evento? Então manda ver um RT no Tweet no final deste post que depois do meio dia eu falo quem ganhou! Mas espere!! Só participe se você pode vir a Porto Alegre no sábado dia 27/outubro.

Se você não quer esperar pelo concurso e quer se inscrever logo, siga o link e faça sua inscrição. E aproveitando / lembrando. Se você é associado a SUCESU-RS ou é estudante de um curso da PUC-RS, não precisa de concurso nenhum. O seu ingresso é gratuito!!

Quer mais duas coisas legais do evento? A Wildtech e o uMov.me são patrocinadores do evento! 🙂

UPDATE 1 (29/outubro): @fsardi ganhou a inscrição para o evento!

UPDATE 2 (29/outubro): Veja fotos do evento no Flickr.

Delphi Conference 2012 – Empreendedorismo e desenvolvimento de produtos no dia 23/outubro em São Paulo

Dia 23 de outubro é dia de Delphi Conference 2012 em São Paulo. A comunidade Delphi se reúne no Centro de Convenções Rebouças para um dia cheio de palestras, divididas em cinco trilhas. A programação já está disponível no site do evento!

Estarei ministrando no final da tarde (se não mudar nada na programação), o meu workshop “Da visão a produção“. Serão quase duas horas, quebradas em palestra e dinâmicas com os participantes.

O objetivo é trabalhar com a comunidade dicas de como desenvolver novos produtos, trabalhar conceitos de Metodologias Ágeis, Empreendedorismo, Lean Startup, Business Model Canvas, Lean Canvas, e várias outras coisas legais. Para entender um pouco mais sobre este workshop é legal olhar as referências que me ajudam a montar ele.

Esta Delphi Conference é especial porque é a primeira depois que a Embarcadero faz depois da criação do programa de MVPs. Apesar de não ser mais instrutor oficial de Delphi (fui entre 2002 a 2006) ainda mantenho o apoio a comunidade via DUG-RS (que fundei com Rafael Helm em 2003) e tenho como propósito levar a comunidade Delphi práticas de Metodologias Ágeis, como automação de testes, melhoria contínua e enfim, práticas que podem ajudar na evolução técnica da comunidade. E também práticas relacionadas ao desenvolvimento de produtos.

E aproveitando que já estarei em São Paulo… no dia 24 eu vou ministrar uma turma do workshop da visão a produção, em  “versão full” de 8 horas, lá na Adaptworks! A turma está confirmada, então fica a dica para você que está em São Paulo: participar da palestra no dia 23/outubro dentro da Delphi Conference e dia 24/outubro fazer o curso lá na Adaptworks.

NoSummit Porto Alegre – Delivering networking and entrepreneurship value

Getting a community together during a saturday afternoon. Sunny afternoon. How easy is that? Not easy, but we can always find people interested in learning, teaching and sharing ideas about entrepreneurship. We did all this with NoSummit, a self-organizing event that happened during September 22nd, in cities around Brazil.

But wait… why are you writing in English, about an event from Porto Alegre? Well, we did most of the event talking in English! Thanks to Max Lincoln from ThoughtWorks NY office, who helped to organize the event, we were able to practice English during our afternoon!

Actually I must give a big “clap clap” time to Mario Areias, MaxPaulo Caroli and ThoughtWorks Brazil. TW is always there to help the community to get together and deliver great networking time.

I sent this tweet after finishing the event. It was a great time, with our people discussing different aspects of entrepreneurship, innovation, agile, building products and services, understanding startups and lean startup concepts.

In the end, some people asked for references. So I will leave here some places to continue the conversation:

Here are some other pictures.

#FicaDica: #StartupDojo de 18/set, veja como foi!

IMG_5571 Fiz um post no blog startupei.ro. Confira!

E fique atento as novas edições, através do nosso grupo do facebook e também pelo twitter @dwildt.

Participe destes eventos! São formas de networking e de prática de modelos de negócio.

Se você quer escrever, leia bastante. Agora, se você quer jogar um esporte bem, a leitura não vai ajudar muito. 🙂 É necessário praticar!

Com modelos de negócio é igual. Se você quer desenvolver modelos de negócio, é preciso praticar! E conhecer pessoas. A rede de relacionamentos é algo muito importante neste processo.

NoSummit – Um evento sem cúpulas

Manoel Pimentel lançou a ideia do NoSummit, um evento que não possui cúpulas e é 100% auto-organizado. Pessoas se colocaram como catalizadores de ideias e definiram pontos de ebulição espalhados pelo Brasil. Cada ponto de ebulição escolhe um assunto para tratar. Simples assim.

O resultado é o evento que ocorre em várias cidades neste sábado, 22 de setembro de 2012.

Em Porto Alegre, estarei puxando um destes pontos, com o apoio da ThoughtWorks. Faremos das 15h as 18h um OpenSpace sobre Empreendedorismo, puxando assuntos como Lean Startup, Desenvolvimento de Produtos e Serviços, MVPs, Métricas, Métodos Ágeis e outros assuntos que possam aparecer e ser de interesse dos participantes.

O processo é todo emergente e de longe pode parecer totalmente caótico. Eu acho totalmente excelente. Porque permite que as pessoas se adaptem ao contexto. Não sabemos quem vai aparecer lá. Quais são suas demandas, dores e expectativas relacionadas ao assunto empreendedorismo. Alguns podem querer contar histórias, outros podem apenas querer ouvir, outros podem querer tirar dúvidas sobre os primeiros passos, outros podem estar com dúvidas existenciais.

Quer fazer parte disto? Então se apresse e se inscreva, porque as vagas são limitadas!

Eventbrite - NoSummit - Porto Alegre

Porque você não deve testar seu software!

Dia 23/agosto tenho uma palestra no evento do Grupo de Usuários de Teste de Software do RS. O evento ocorre em Porto Alegre, na PUC-RS a partir das 19h15min.

Depois complemento este post com um resultado da palestra, mas de imediato deixo o resumo da palestra:

O objetivo é mostrar todos os benefícios de não testar software. Ao melhor estilo “dilbert”, ir contra as práticas, que acabam sendo uma forma diferente de refletir e aprender um determinado assunto. Falar dos “benefícios” 🙂 de se não testar e não se preocupar com a qualidade do seu software. E principalmente toda a emoção que estas práticas irão trazer para o dia a dia do seu time. Tudo isto através de uma reflexão coletiva com a platéia.

Convido a todos para irem assistir esta palestra e participar de todas atividades da noite do GUTS-RS.

UPDATE!

Claro que a palestra foi uma “tirada” sobre equipes e profissionais que ainda acreditam que são muito bons e que testes, automação e outras técnicas para garantir qualidade não se aplica a eles. E também para empresas que consideram os processos de teste como algo “inútil”.

Fora histórias que vivi no passado de empresas que vendiam seus serviços ao mercado com ou sem testes. Até projetei nos slides o que seria esta empresa que “consegue” fazer entrega sem testes. 🙂

Depois comecei a puxar aspectos de algumas metodologias ágeis e trazer algumas reações que já vi equipes e pessoas terem a respeito das práticas e sua associação com processos de teste e de garantia da qualidade.

A mensagem no final, é sempre lembrarmos que o processo de testes deve ser uma atividade de prevenção. Nunca de reação. Que o modo de medição do profissional de testes, não pode ser atrelado a quantidade de defeitos que a pessoa acha. E sim a qualidade que este profissional consegue adicionar na sua equipe de trabalho. O quanto ele consegue fazer funcionalidades passarem por todo o ciclo de trabalho e chegarem a produção de uma forma mais consistente. Pareamento com analistas, desenvolvedores, foco total na criação de conhecimento.

Fecho o post com a apresentação realizada hoje.