Leia outra vez!

Não sei vocês, mas eu tenho o hábito de ler livros mais de uma vez. Me serve para validar crenças e passar a ter novas visões de conteúdos que já consumi.

Indico aqui títulos que se tornaram necessários no meu dia a dia, antes de iniciar um novo livro. E ah, adicionei na lista, conteúdos dos autores que você pode consumir caso você entenda que os livros / áudios são TL;DR. 😛

Continue a ler “Leia outra vez!”

Desenhando modelos de negócio! Conhece Visual Thinking?

No sábado 14/junho palestrei sobre desenvolvimento de modelos de negócios usando a técnica do Business Model Canvas (BMC). Durante a apresentação não usei slides, mas o pessoal estava achando que eu estava usando alguma técnica com slides automáticos. 🙂

Na verdade era uma pessoa, o Felipe Freitag, um “Visual Thinker“. 🙂

Enquanto eu fui apresentando a palestra e conversando sobre o funcionamento do Business Model Canvas, o Felipe foi montando representações de apoio ao que era apresentado. Falamos sobre empreendedorismo, modelos de negócio, sobre pivot mas de uma forma bem objetiva.

Continue a ler “Desenhando modelos de negócio! Conhece Visual Thinking?”

Hoje é o primeiro dia do resto da sua vida. Bora?

Durante a minha vida profissional aceitei alguns desafios que, apesar de muito legais, acabaram se tornando problemas. E não pelo desafio profissional em si, mas pelo excesso de energia mental e física que demandavam.

Só que já passei por situações que demandavam muito mais energia do que as problemáticas, e conseguia viver “rindo”. Aqui tem um componente de buscar fazer o que se gosta, mas nem sempre conseguimos notar o que acontece, pelo piloto automático que funciona dentro da nossa cabeça.

Continue a ler “Hoje é o primeiro dia do resto da sua vida. Bora?”

A hora de fazer o que se gosta.

Muito interessante conversar com amigos e ver alguns reclamando do que fazem, fazendo horas extras e ganhando algumas noites mal dormidas por causa do excesso de trabalho.

Mais interessante conversar com amigos trabalhando em projetos pessoais e dedicando +15 horas por dia e finais de semana sem ainda ter ganho R$1 por todo o trabalho sendo desenvolvido. E terminando os dias com um sorriso no rosto sem explicação.

Continue a ler “A hora de fazer o que se gosta.”